quinta-feira, 28 de julho de 2011

Istambul 2: a missao

A segunda vez nessa cidade foi ainda mais surpreendente que a primeira. Como em ambas as vezes eu havia somente um fim de semana para ver muita coisa, acabei me dividindo assim:

Em janeiro visitei os principais pontos turísticos da cidade: mesquitas, palácios, praças, mercados e museus. Experimentei a culinária local (hummm!), fiz compras na grande liquidação que estava tendo na cidade e aprendi a andar de metro para todos os lados. No último dia havia planejado um passeio de barco pelo estreito de Bosforo, mas choveu, levando meus planos, literalmente, por água abaixo. Então visitei mais museus e monumentos e me conformei com a traição da meteorologia.

Não esperava voltar à cidade, mas é verão e cá estou eu diante de mais uma oportunidade de carimbar o passaporte. Sem deixar passar em branco, claro.

Então pesquisei o que eu poderia conhecer ali, que não houvesse já visto, e fui determinada e ver tudo dessa vez. Além do passeio de barco pelo Bosforo, de onde se pode ver a Torre Feminina e diversos pontos turísticos, é possível também chegar até a parte asiática da cidade e eu estava bem curiosa para conhecê-la. A ideia de visitar uma cidade que se divide entre dois continetes realmente me fascinava.

Mesquita de Eyüp Sultan



Vista de Mesquita de Eyüp Sultan




Na parte européia, encontrei uma cidade moderna, cosmopolita, civilizada e extremamente movimentada enquanto na parte asiatica, o cenario é bem diverso. Em Eminönü, num calor extremo subi uma montanha para conhecer as ruínas do castelo medieval Ceneviz, com uma vista deslumbrante para o estreito de Bosforo. Somente ali, na outra parte do contimente, me dei conta de quanto a cidade é enorme. Para completar o passeio, uma surpresa incrível: golfinhos turcos no mar! E apareceram três vezes, três! Inacreditável! Acho que já falei aqui, quando os vi pela primeira vez na vida, em Ilha Grande, o quanto sou apaixonada por eles, lembram?


Castelo medieval Ceneviz


Golfinhos turcos!



De noite, além da culinária turca que eu tanto gosto, pude experimentar também narguilé, que é aquele cachimbo longo em que se fumam diversos aromas. Eu escolhi maçã com hortelã e era muito bom. Embora eu tossisse mais que um velho tuberculoso.


Dessa vez, andei bem mais de taxi do que de metrô, tram e funicular. Já que a moeda (turkish lira) ajuda muito na hora do câmbio e torna tudo muito mais econômico, além de rápido. Por ali, a quantidade de taxis pelas ruas é impressionante.

Na viagem de ida, na revista da companhia aerea, eu havia visto uma foto maravilhosa, feita ao alto em que se podia ver o panorama de Istambul em toda sua grandeza e fiquei com a ideia fixa na cabeça: ver a cidade do alto e fazer fotos tão incríveis como aquela. Então visitei tanto a Torre de Galata e a Mesquita de Eyüp Sultan, situada na parte exterior das Muralhas de Constantinopla, junto ao Corno de Ouro, onde se chega através de um bondinho. E em nenhum dos dois pontos consegui fazer uma foto tão bonita como aquela que vi na revista. Não entendi ainda se é pura incopetência da fotógrafa ou se não achei o ponto certo em que a foto foi feita. Enfim. Segui em frente.

Do alto da Torre de Galata

Cemitério da Mesquita de Eyüp Sultan

No último dia, dediquei a mais um passeio de barco e fiz a rota das ilhas dos Principes, de Kabataş a Büyükada. O ponto final do barco é um dos pontos mais turísticos da cidade durante o verão, onde os turcos vão à praia pegar sol e se jogar no mar. Lotada de turistas que passeam de bicicleta e charrete, a ilha tem uma arquitetura toda em branco, com infinitas opções de bares e restaurantes de frente pro mar.
Além disso, no domingo ainda deu tempo de rever – de fora - os pontos turísticos que eu havia visto no inverno, como Santa Sofia e Mesquita Azul, e tomar um sorvete turco (hummm!) no Taksim antes de voltar para o hotel, arrumar a mala e correr pro aeroporto.  (Mas sobre a comilança turca da gordinha aqui, eu fico devendo um post especial!)


Büyükada
Taksim


Onde ficar:
Ramada Plaza

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Tattoos, breguices e vontades amadurecidas II

Eu continua buscando inspirações para minha tattoo, lembram? E tenho encontrado imagens bem bonitas para me inspirar...














terça-feira, 19 de julho de 2011

Dias de parque: balloon

E' tão evidente o quanto as pessoas são mais felizes no verão, todos que saem para se encontrar, passear no parque, tomar sol na beira do lago, tomar sorvete... eu não quero nunca mais mudar de estação!





Blusa: Renner
Leggins: H&M
Tenis: All star
Relogio: Cassio

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Ah, o verão...


Desde que eu cheguei à Italia procurava um lugar, que de alguma maneira, me substituisse a Serra do CipóMacacos ou a Serra da Canastra. Eu sei, é coisa de mineira provinciana, que cresceu em meio à poluição e ao cimento de Belo Horizonte e que sempre aproveitou cada oportunidade, mesmo que durasse pouco, para se jogar em qualquer agua corrente que pudesse proporcionar uma maior resistência à espera em ver o mar (mesmo que somente uma vez ao ano (quando tudo ia realmente muito bem).

Mas minha vida por muito tempo foi assim; mesmo a mais remota possibilidade de passar o sábado ou o domingo nas cachoeiras de Minas era desfrutada ao máximo. Durante muitos anos frequentei os clubes de BH, as piscinas da escola,  de sítios de amigos e parentes, de uma maneira talmente dedicada que fui apelidada de "pretinha" e "peixinho" por varias e varias vezes. Mas foi so conquistar uma idade em que se compreende mais um pouquinho da vida, para tomar gosto em desbravar florestas matas e descobrir que, deixar o sedentarismo de lado, caminhar kilometros por trilhas estreitas e extremamente verdes para se chegar em algum lugar de visual deslumbrante, e com agua corrente, poderia valer muito a pena.

Sempre achei que a minha esperança em encontrar cachoeiras, ou qualquer coisa parecida, aqui na Italia, fosse uma coisa completamente lunática e remota, mas quando soube da existência dessa "praia", próxima a Piacenza, e a apenas 1 horinha de Milão pude voltar a acreditar que o so no verão as pessoas são realmente felizes como jamais serão no inverno em nenhum lugar do mundo.





PS: Para minha alegria, e mesmo que dure pouco, o verão esta apenas começando.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Meu look: domingo






Vestido: Tally Weijl
Colar: Promod
Anel: H&M
Bolsa: Pimkie
Sandalia: Melissa

PS: Fotos feitas com outra cam que nao seja a minha nao prestam...

terça-feira, 5 de julho de 2011

Dos prazeres da vida

Se tem uma coisa que me da prazer nessa vida, essa coisa se chama carimbar o(s) passaporte(s). E se eu tenho um motivo para ir à falência, que seja o mesmo! Porque eu quero mesmo é rodar o mundo, conhecer lugares, fotografar paisagens maravilhosas e ser feliz! o/