quarta-feira, 15 de abril de 2015

Teatro la Scala em Milao

Estudando na Università Cattolica del Sacro Cuore, tive a oportunidade de fazer passeios mais que especiais junto à minha turma, dentre eles, conhecer um dos mais famosos teatros da Itália, o Teatro alla Scala (ou La Scala) e de assistir a um concerto de musica clássica por lá. Foi de arrepiar! Para quem não sabe, eu adoro musica clássica! E na adolescência até me arrisquei no violino. Fiz aulas por dois anos, mas depois encostei ele na parede do quarto, onde esta até hoje. :(


O teatro se localiza na praça homônima, de fácil acesso passando por dentro da Galeria Vittorio Emanuelle II, foi inaugurado em agosto de 1778 depois que a imperatriz austríaca, que tinha Milão sob domínio na época, decretou a sua construção para substituir o teatro anterior, destruído em um incêndio. O teatro deve seu nome à igreja que antes se erguia no local Santa Maria alla Scala.



No La Scala, luxo e requinte se destacam em cada ambiente e em cada detalhe. A planta do teatro em U e é composta de plateia, quatro níveis de camarotes e dois níveis de galerias. Além disso, o teatro oferece um palco enorme e uma acústica sensacional. Tons de dourado e vermelho estão por toda parte, além de um deslumbrante lustre em vidro de murano. A fachada, dessa obra neoclássica, também é linda de se ver, principalmente à noite!





O teatro é uma referência na Europa e muitas vezes, são necessários meses de antecedência às principais apresentações para que se achem ingressos. A dica é tentar com antecedência no site do teatro , e escolher entre as óperas, ballet’s, musicais e apresentações da Filarmônica della Scala, como eu vi, em sua programação.








Pelo Scala passaram compositores como Verdi, Toscanini e Puccini, tenores e sopranos como Maria Callas, Luciano Pavarotti, Plácido Domingo, Teresa Berganza, Joan Sutherland, Montserrat Caballé e José Carreras e bailarinos como Margot Fonteyn e Rudolf Nureyev.

 



No site do teatro: www.teatroallascala.org, onde podem ser comprados tickets on-line com antecedência, e se informar também como se vestir para as apresentações.

Vai lá:
Teatro Scala
Praça Scala (Via Filodrammatici, 2)
Bilheterias:
Bilheteria Central – Duomo
Galleria del Sagrato – Praça Duomo
Bilheteria (noite) – Teatro alla Scala
Via Filodrammatici 2, 20121 Milano
biglietteria@teatroallascala.org

Museu Teatral do Scala
Largo Ghiringhelli 1
Piazza Scala
Preços:
Inteiro: € 6
O museu é aberto todos os dias, com exceção dos dias: 7 Dezembro, 24 Dezembro (a tarde), 25 e 26 e 31 Dezembro,  1 Janeiro, Páscoa, 1 Maio, 15 Agosto. Das 9 às 12:30 (última entrada às 12) e das 13.30 às 17.30 (última entrada às 17h) A sala poderá ser vista através de um dos camarotes exceto em caso de ensaios ou apresentações.


sábado, 11 de abril de 2015

Minas Trend 2015

Quem acompanha a fanpage e o Instagram do blog, sabe que, na semana passada, estive no Minas Trend pela segunda vez, um dos maiores eventos de moda no Brasil. Trata-se de uma feira para lojistas, em que são apresentadas coleções para as próximas estações pelas principais marcas mineiras e nacionais. Além do salão de negócios, o evento conta também com espaço para palestras, cursos e também oferece um espaço onde as marcas possam apresentar suas coleções de um outra forma: nas passarelas.

O tema desta edição foi chamado de “Viva Ciclicamente”. O evento teve como inspiração os movimentos cíclicos da natureza, que são a aposta para motivar a nova estação primavera/verão 2016 de roupas, acessórios e sapatos.

Abaixo voces conferem algumas imagens para tentar ilustrar melhor o que foi essa edição.





 







Com Caio Braz, do GNT Fashion


Encontro com Consuelo Blocker



quarta-feira, 1 de abril de 2015

Achado: SS 15 Bauxite Capsule Collection

Mais uma marca italiana que me conquistou desde quando a conheci é Bauxite. Sua última coleção, a Capsule Collection de verão, é inspirada nas festas religiosas brasileiras e é inteiramente feita de materiais naturais. Suas combinações de cores, formas e estampas sao inusitadas, modernas e divertidas. Misturando o clássico ao despojado e conferindo muita personalidade às peças. Divido com voces por aqui um pouquinho do que me conquistou:

Rio

Calçada (a minha preferida! Linda!)

Sampa 


Rainha

Mais sobre a coleção:
SS 15 Bauxite Capsule Coleção ▼

Beleza é a alegria de viver, Beleza é a religião do impulso, da desordem, do aqui e agora; Beleza é a música, é uma dança de Iemanjá, a rainha e deusa do mar. Beleza é a nova coleção de Bauxite: uma coleção que fala, com itens exclusivos portugueses e 100% de seda ou algodão, coloridas e naturais.
Um hino à vida.
Você pode comprá-lo aqui ou escreva para info@bauxiteclothing.it e conheça seus distribuidores.
Para conhecer toda a coleção clique aqui.

segunda-feira, 30 de março de 2015

[Foto que conta história] #10: Verona

A [Foto que conta história] de hoje foi feita em uma das minhas tantas idas à essa cidade linda. Além de encantadora, Verona é a apenas 2 horas de Milão, o que facilita ir passar o dia e poder voltar à noitinha. A cidade de Romeu e Julieta oferece mil atrações como a vista panoramica do alto do Castelo San Pietro. Ver o por do sol no inverno dali é simplesmente maravilhoso!

Foto: Cristina Mereu

A série [Foto que conta história] surgiu quando eu estava organizando mais um back up e analisando as fotografias que fiz ao longo dos últimos anos. Fotografo incessantemente desde o inicio da faculdade (2003), mas não faz tanto tempo assim que começaram a me pagar por isso. Não foi só uma paixão que virou trabalho, mas também um hobby que nunca abandonei. Pensando nisso, resolvi criar essa série aqui no blog com fotos que fiz sem tanta pretensão, só mesmo para registrar o momento, mas que, toda vez que me deparo com elas, fazem-me reviver aquele momento em detalhes. Espero que gostem! 

Para ver mais posts sobre Verona, clica aqui.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

[Micos da Cris] Puxador


Primeiro dia de aula na universidade, auge do inverno, previsão de neve e aquele vento frio lá fora. Muitas novidades em minha vida. Chego à universidade mais cedo, acho minha sala, minha turma, meus colegas. Me sento e começo a observar o ambiente, a movimentação. Notei que na parede havia uma série de coisinhos não identificados,  mais ou menos na altura de nossas cabeças. Pensei que talvez fizesse parte da decoração. Mas não estava muito segura. Dai mais colegas foram chegando, pegando aquilo, que era uma espécie de puxador, e pendurando o casaco. Ou seja, os casacos ficavam no cabide, já que estávamos em ambiente aquecido. Mas eu não estava, definitivamente, preparada pra pendurar o meu. Era a unica que permanecia encapotada até metade da aula, quando começava a suar e, enfim, puxava também um cabide pra mim na parede. Tai uma coisa que eu nem sabia que existia. Sem contar a infinidade de casacos existem para cada época do ano.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Como (o) usar: preto e branco

Preto e branco sempre foi considerado um clássico. Mas, dependendo da composição, pode se tornar bem despojado. A vantagem é que é super fácil de combinar e nos permite abusar de acessórios, coloridos ou não.  


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Itália Romântica: Lucca [2]

Para começar a semana bem inspirados, mais um registro da série Itália Romântica, em que divido com vocês pequenos flagras nesse que é um dos países mais românticos do mundo. A foto de hoje foi tirada na cidade de Lucca, na Toscana, numa tarde de outono, em que a temperatura começava a baixar, fazendo com que parques e praças fossem invadidos por casais apaixonados, que buscavam ver o por do sol, tipicamente colorido nessa época do ano.

Foto: Cristina Mereu

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

[Foto que conta história] #9: Carnaval em Veneza

A [Foto que conta história] de hoje foi feita no Carnaval de Veneza, o meu primeiro na Italia. Voces já devem ter percebido o quanto amo essa cidade e como qualquer motivo é valido para ir até lá. Estar na Italia e não conferir um Carnaval lindo como esse seria, no mínimo, um pecado. Mesmo porque a festa na cidade dura 10 dias, sendo que nos fins de semana a programação se intensifica. 
Durante as noites realizam-se bailes em salões e companhias realizam desfiles pelas ruas da cidade. Os trajes usados são característicos do século XVIII, e são comuns as máscaras nobre, caretas brancas com roupa de seda negra e chapéu de três pontas. Fiquei maravilhada com tudo que vi por ali. Certamente, é um Carnaval bem diferente do nosso: elegante, no inverno, não tão animado,mas extremamente seguro. 



A série [Foto que conta história] surgiu quando eu estava organizando mais um back up e analisando as fotografias que fiz ao longo dos últimos anos. Fotografo incessantemente desde o inicio da faculdade (2003), mas não faz tanto tempo assim que começaram a me pagar por isso. Não foi só uma paixão que virou trabalho, mas também um hobby que nunca abandonei. Pensando nisso, resolvi criar essa série aqui no blog com fotos que fiz sem tanta pretensão, só mesmo para registrar o momento, mas que, toda vez que me deparo com elas, fazem-me reviver aquele momento em detalhes. Espero que gostem! 

domingo, 8 de fevereiro de 2015

5 coisas que os italianos dizem e eu não capisco



1 - Se você pegar frio na barriga, terá caganeira
Os italianos não podem ver alguém um pouco descoberto no inverno, para logo dizerem o quanto é importante proteger a pancia, para evitar o famoso cagotto. E não se intimidam ao usar a palavra caganeira com todas as letras.

2 - O ar condicionado na nuca ataca a cervicale
Dizem que pegar o vento do ar condicionado diretamente na nuca, faz com que você tenha uma tremenda dor de coluna.

3 - Coma um doce para pressão baixa
Se sua pressão baixar, os italianos te darão açúcar. Já os brasileiros te darão sal. Cadê a logica, gente?

4 - Muito banho resseca a pele
Não são todos que dizem, mas vários italianos já me disseram que tomar muitos banhos retira a proteção natural da pele. Não é uma afirmação tão absurda assim, mas também não acho que um banho por dia possa prejudicar tanto assim a cutis.

5 - Espere duas horas para dar um mergulho após as refeições
Essa também ouço muito no Brasil e já tentaram me convencer mil vezes de que faz sentido e pode ser perigoso se jogar na água após o almoço. Mas eu sempre fiz e nunca passei mal. Acho mais absurdo perder duas horas do meu verão. Não aconselho que se faça o mesmo, mas assumo o meu proprio risco.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

[Foto que conta história] #8: 2015 em 50mm


A [Foto que conta história] de hoje é bem recente. Quando 2015 começou, eu resolvi criar o meu próprio desafio (destinado a mim mesma! rs): fotografar somente com a lente 50mm e em modo manual sempre! #desafio2015em50mm Isso porque é a lente que mais exige o olhar apurado, que não tem foco automático (acoplado à minha camera) e que mais se aproxima à imagem vista pelo olho humano. Tem dado um trabalhão danado, principalmente se o personagem não para quieto, como esse abaixo. Mas o resultado é bem superior ao das outras lentes que possuo. Acontece de jogar 100 10 fotos fora e salvar apenas uma, mas aquela que permanece é sempre A foto! Tenho gostado bastante do exercício e to feliz de ter criado esse desafio. Além disso, a abertura focal de 1.8 traz efeitos incríveis que com outras lentes não consigo fazer, como o destaque ao assunto principal e o grande desfoque de todo o resto ao fundo. #muitoamor

Quanto à personagem abordada, é uma gatinha (que temos chamado de Mia), que apareceu ha alguns dias na casa da minha mãe e, embora ninguém por aqui tenha muita intimidade com gatos (sempre tivemos cachorros), ela parece ter decidido que somos a sua família e não sai mais daqui. Pelo jeito, ainda não é adulta, e vive em uma carência só. Sempre nos seguindo e pedindo atenção através de miados indecifráveis. 

Fotogênica ou não?

A série [Foto que conta história] surgiu quando eu estava organizando mais um back up e analisando as fotografias que fiz ao longo dos últimos anos. Fotografo incessantemente desde o inicio da faculdade (2003), mas não faz tanto tempo assim que começaram a me pagar por isso. Não foi só uma paixão que virou trabalho, mas também um hobby que nunca abandonei. Pensando nisso, resolvi criar essa série aqui no blog com fotos que fiz sem tanta pretensão, só mesmo para registrar o momento, mas que, toda vez que me deparo com elas, fazem-me reviver aquele momento em detalhes. Espero que gostem! 

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Dia Internacional da Lembrança do Holocausto



No Dia Internacional da Lembrança do Holocausto todo o meu respeito às vítimas e familiares do maior genocídio cometido pelos nazistas e seus adeptos, que acabou com a vida de milhões de judeus durante a II Guerra Mundial.

27 de janeiro foi a data que, em 1945, marcou a liberação do maior campo de extermínio nazista, Auschwitz-Birkenau, pelas tropas soviéticas. O lugar, ainda hoje, carrega um clima pesado, de embrulhar o estomago.
 

[Turismando] em Roma #2

A segunda parte do [Turismando] em Roma diz respeito a uma atração que não pode faltar em roteiro algum: o Vaticano e, mais especificamente, a Capela Sistina. E digo isso mesmo se você não for católico. O Museu do Vaticano está entre os mais lindos que já vi na vida, se não for o mais lindo, e concentra as mais importantes obras de arte. Confia em mim: vale a pena dedicar algumas horas para essa atração!


Vaticano
É uma loucura pensar que Roma abriga, em seu interior, um país que possui suas próprias leis. O Vaticano, é o menor estado do mundo e totalmente independente da Europa. Localiza-se no bairro do Prati, possui 836 habitantes e 44 hectares delimitados por grandes muralhas. Ali dentro encontram-se também a praça e Basílica de San Pietro, um complexo com diversos museus, conhecidos como Musei Vaticani, ou Museus do Vaticano (cuja origem remonta ao século XVI, quando o Papa Júlio II começou a colecionar esculturas).

 

Basílica de São Pedro 
A Basílica de São Pedro é onde o Papa aparece para cumprimentar os fiéis e turistas de todo o mundo. Eu visitei o Vaticano em uma quarta-feira de manhã e tive a oportunidade de ver o Papa discursando aos seus fiéis e acenando do seu Papamóvel. Nos dias em que ele aparece, torna-se também mais difícil o acesso aos museus, devido à legião de fiéis aglomerados em todos os espaços.


A Basílica é a maior igreja do mundo com uma área de 23.000 m² e recebe mais de 60.000 pessoas, sendo considerada um dos lugares mais sagrados do Cristianismo. A igreja abriga o túmulo de São Pedro embaixo do altar principal. Muitos dos outros papas também estão enterrados ali, inclusive João Paulo II, o mais visitado e adorado até hoje.

Sua construção começou em 1506 e terminou em 1626 e se deu, em parte, com o dinheiro obtido pela venda de indulgências. Foi construída no mesmo lugar onde São Pedro, um dos apóstolos de Jesus Cristo, o 1º Papa, foi crucificado ou queimado.
 

A Praça de São Pedro é aquela bem em frente à Basílica de São Pedro e foi projetada por Bernini no século XVII, tendo como base o estilo clássico, e também o barroco. Ao centro, existe um obelisco do Antigo Egito, de 40 m de altura, incluindo a base e a cruz do séc. XIII a.C., e foi trazido para Roma no reinado do imperador Nero


Museu do Vaticano
O museu é um dos mais importantes do mundo e divide-se por coleções de obras dos maiores artistas. São inúmeras, enormes e maravilhosas salas. E a principal fica mais no final da visita: a Capela Sistina, restaurada, para apreciar as maravilhas de afrescos como o "Último Julgamento" de Michelangelo. Lotada, e totalmente imperdível! Nessa sala, muitos guardas tentam limitar o numero de fotos e o uso do flash (que prejudica as obras), então é bom ficar atento e desligar o dispositivo para não sentir a "delicadeza" italiana retumbando bem no fundo dos ouvidos. 


No interior do museu, existem galerias dedicadas aos mais diversos estilos: arte etrusca, egípcia, uma seção dedicada a tapeçarias dos séculos XV ao XVII, um conjunto de quatro salas decoradas por Rafael (incluindo a clássica pintura Escola de Atenas) e outros pequenos museus históricos e etnológicos. 

Mas entre as partes mais significativas, a mais linda delas é mesmo a Capela Sistina, cujos fantásticos afrescos no teto, retratando cenas do Gênese, foram pintados por Michelangelo entre 1508 e 1512. A beleza é tamanha que as pinturas das paredes laterais, feitas por mestres como Ghirlandaio e Botticelli, podem passar despercebidas. Lá estão os mais famosos afrescos de Michelangelo, como"A Criação de Adão". Na parede do fundo, um Jesus e a ira do Juízo Final.


Prepare-se para sair de lá com o pescoço duro, pois os afrescos do teto são simplesmente hipnotizantes! E tome cuidado para não trombar com outros turistas igualmente abobados. Além disso, esse é o lugar onde conclaves se reúnem para a eleição do novos papas. As imagens presentes nesse espaço valem todo o esforço para se chegar ao Vaticano: filas intermináveis, multidões de fiéis e os preços dos ingressos. É simplesmente magico!
 
Galeria dos Mapas é um longo corredor, decorado nas paredes e teto por cerca de 40 mapas produzidos por Ignazio Danti, representando os Estados Papais.


As Salas de Rafael surgiram quando o mestre renascentista Rafael Sanzio foi incumbido pelo papa Júlio II da redecoração de quatro aposentos. Entre os afrescos destaca-se A Escola de Atenas, de 1511, que mostra uma cena onde estão retratados filósofos como Aristóteles, Platão, Diógenes e Sócrates.

 


Para nao enfrentar as filas enormes para visitar o Vaticano, é possível comprar entradas para visitas guiadas pelo site Rome Museum. N
o último domingo do mês, a entrada é gratuita, dia em que museu abre excepcionalmente até as 12h30. É possível também comprar o ingresso na bilheteria do Museu ou online, clicando aqui. Existe também um tour VIP diário, pelo dobro do preço, para poucos participantes, em que é possível conhecer a Capela Sistina sem um mar de turistas (a entrada desse tour é liberada 15 minutos antes da entrada do restante do público). 

Para ver a primeira parte de [Turismando] em Roma, clica aqui.